Por falar em Gratidão, Cadê Você?

Olá, pessoal...
Ontem dia 26 de maio feriado regional de Corpus Christi, decidi dar uma passadinha até a loja de livros e no meio de inúmeros livros, um me chamou bastante atenção. Então hoje resolvi compartilhar com vocês.
Livro esse que me fez imaginar sobre tantas e tantas coisas que no nosso dia deixamos passar. É a palavra que todos conhecem e poucos têm. A recitada GRATIDÃO. 
Escrito por BRADLEY TREVOR GREIVE o livro OBRIGADO POR EXISTIR reflete de uma forma bem alegre e bastante sentimental uma forma de declaração de gratidão a alguém especial. Faz a gente refletir por meio de fotos de animais o que ele quer representar.
O que me fez parar pra pensar é que inúmeras vezes nos recuamos para falar algo ou simplesmente passamos despercebido e perdemos grandes oportunidades de falar a alguém o quanto ele é raro em nossas vidas. Como isso?
Pois então...
Será que pelo fato que passo o dia fora e depois de tão cansado do trabalho que nem se quer lembramo-nos de dizer um obrigado por existir ao nosso amor, ou até mesmo de sentar a mesa do jantar e dar uma beijoca na minha queridíssima mãe e dizer obrigado por existir, de sentar no sofá e ver um filme com meu estimado pai e poder dizer no intervalo do filme e mencionar um obrigado por existir, de olhar nossos animais de estimação e fazer um carinho e falar com voz engraçada de gente bobo um obrigado por existir, de puxar um papo em alguns dos aplicativos com alguém próximo e poder enviar um obrigado por existir, boa noite.
Ops! Talvez não seja uma boa, amanhã acordo cedo, melhor ir descansar...
Acordamos com o despertador a mil por horas, apressados. Dai vem trabalho ou (estudos), que trás consigo estresse, na volta temos o bendito engarrafamento. Desço do ônibus e vou atravessar a faixa de pedestre; Sinal fechado por coincidência avistamo-nos e lembrarmos naqueles 2 minutos de nossa amizade quando criança, o sinal abre e você fala... Vamos marcar de se encontrar? Saudades! Aparece!! E esse dia será que realmente chega? Não sei...
Mas era bacana como até um dia desses isso era algo tão importante e depois de papearmos bastante  despedíamos com um abraço e mencionávamos  ''até amanhã''.
É! talvez nosso tempo de vinte e quatro horas por dia seja pouco e breve demais pra pararmos e dizer um ''obrigado por existir''...
Que isso não venha passar, mas que possamos lembrar-nos disso constantemente. 
Aqui abaixo está algumas imagens e frases sensíveis que o livro nos passa.






Espero que tenham gostado, até mais...!

Play Music

Ei! Que tal um pouco de música?

Hoje resolvi trazer músicas que para mim faz um bem danado. Espero que gostem...

Fernanda Takai - Um Girassol da Cor do Seu Cabelo




Gram - Você Pode Ir na Janela



Supercombo - Amianto 


Cícero - João e o Pé de Feijão - (Canções de Apartamento)

Vanguart - Nessa Cidade





Tiê - Isqueiro Azul


Nando Reis - Espatódea 


Tulipa Ruiz - Só Sei Dançar Com Você


Luxúria - Ódio


Marisa Monte - PANIS ET CIRCENSES 


 

 



Gram - Voce Pode ir na Janela


Despeitada - Retratação

Oi, vocês!
Hoje a Tia Dê vai contar uma historinha pra vocês, por isso peguem suas pipocas e se acomodem na cadeira, hahaha. 


Um dia desses estava eu passando pela timeline e bati o olho em uma declaração que uma colega minha fez para o namorado, com direito a TEXTÃO e tudo mais, só que ai eu vejo o comentário do boy e era só um "Eu te amo". Cara, sério se isso fosse comigo nem sei o que eu faria HAHA, já fiz diversas declarações pra amigos meus e só um deles disse "obrigado", eu me irritei? Me irritei!
- Tá Denise, onde você quer chegar com tudo isso? Eles são namorados e fazem o que quiser.
Continuando...  Eu, boba que sou, postei uma mensagem no meu perfil mais ou menos assim "Dai você vê a declaração de sua amiga para o namorado e vai ver o comentário e ele só diz: eu te amo, Mds, sinto muito miga", pouco tempo depois uma criatura postou na timeline dele mais ou menos algo parecido com o que eu escrevi, só que com as modificações "Dai a menina vê a postagem da colega pro namorado e vai fuxicar o comentário dai o despeito bate (?) pois ela não recebe nem um eu te amo, imagine uma declaração. Eu fico parada, meia hora olhando pra tela do celular e rindo, resolvo ir no perfil desse ser e vejo, olha só, uma declaração que nem eu sabia que a namorada (que era minha amiga, ERA, não sei mais se é), tinha feito pra ele nesse dia, e olha só que coisa linda, o comentário tinha também "eu te amo". Repito, quando eu fiz minha postagem eu nem tinha visto essa declaração, dai que a ela (minha postagem) ofendeu ele e ele resolveu me atacar.
Gente primeiro, ele me chamou de despeitada, eu olhei logo para os meus peitos e sim, não tenho peitos, preciso urgentemente colocar silicone, né? Por que na sociedade em que vivemos mulher sem peito não é mulher.
Segundo, ele disse que eu não recebo nenhum "Eu te amo, amor", olha sinto muito lhe decepcionar, mas eu recebo sim, dos meus primos (de 10 e 9 anos de idade), da minha mãe mesmo que indiretamente, de meus amigos. Eu não preciso mesmo de um namorado (a) pra satisfazer meu despeito.
Terceiro, gente qual a necessidade disso? Se ele se doeu não posso fazer nada. A postagem nem era pra ele, sabe? AS pessoas se irritam muito fácil, eu só fiz rir dele e da boyzinha dele pelo micão, e além disso eu ainda sai a despeitada da história? Pois é, realmente estou precisando turbinar meus peitos pra que ninguém mais me diga que sou DESPEITADA. 
Eu não me importo com casais de namorados que trocam declarações de amor pelo facebook, eu só queria mesmo fazer uma zuera com uma colega minha, que aliás, ela começou a rir do meu post.


Obs: Resolvi fazer essa postagem pra me retratar com a sociedade, desculpem-me. Foi um deslize meu mesmo. AHAHA #SQÑ

Beijos e até a próxima, espero que tenham gostado da minha historinha 😂

As três espiãs demais

A Aline e eu resolvemos trazer pra vocês personagens que fizeram parte da nossa infância pra vocês. 
Aqui está o post dela, vamos ao meu, né?

Bom, acho que muita viveu a fase da falecida TV globinho, e creio que muitos acordavam cedo só pra ficar ligadinhos nos desenhos. Comigo não foi diferente, eu sempre acordava cedo e tomava café de frente pra TV esperando um dos meus desenhos preferidos começar.


Sim, sim, as três espiãs. Minha memoria é muito falha, não me recordo como que eu comecei a assisti-lás, mas lembro muito bem de qual das três eu gostaria de ser, a Alex, uma garota diferente das outras, que usava cabelo curto, que não era tão fresquinha, mas que também não deixava seu lado feminino de lado. Eu me via nela rs.


Ai gente era tão bom, sabe?  Ficar imaginando que estava resolvendo aqueles casos, toda hora em qualquer lugar procurava algo para "investigar", uma pena que não tinha uma amiguinha pra me ajudar nos casos haha. Brincava sozinha com meus amigos imaginários.

Dai ai eu cresci, a TV Globinho morreu, mas nunca perdi aquela essência da infância, eu sempre gostei de desenhos animados, continuo gostando, e com os avanços da tecnologia pude reviver esses momentos e cá pra nós, é uma delicia assistir desenhos, eu choro, rio (tá certo isso? O.o), choro de novo, e sempre resgato uma nova emoção que foi guardada lá no fundo do bau do coração.

Fiquem ligados no blog, pois iremos trazer, em breve, mais desenhos da nossa infância. Um beijão pra vocês e até o próximo post ;)